segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Campo petrolífero de Tupi: como se fabrica uma notícia

Félix Maier

22/11/2007

De uma hora para outra, o Brasil passou de país sem gás para membro da OPEP...


Como a volta olímpica do Flamengo, feita no Maracanã na tarde de 11/11, com seus jogadores desfilando com a “Taça das Bolinhas”, feita de isopor, a “descoberta” do campo petrolífero de Tupi não passa de mais um embuste lulano.

Não que não exista tal campo, atualmente avaliado em cerca de 8 bilhões de barris. O fato é que a descoberta do megacampo de Tupi já havia sido anunciada em 2005. Lula, espertalhão como sempre, requentou a notícia, principalmente depois de sofrer mais um apagão, o do gás. Talvez para melhor negociar na visita que fará à Bolívia (e entregar novamente de bandeja ao presidente Evo Cocalles) outros investimentos da “nossa Petrobrás” (ou seja, do governo e dos petroleiros), para aumentar o volume de venda de gás ao Brasil.

Assim, de uma hora para outra, o Brasil passou de país sem gás para membro da OPEP… Ainda que nada prove que a extração das profundezas de 7.000 metros no Campo de Tupi seja viável, tecnologica e economicamente. Pelo menos a médio prazo. Enquanto os brasileiros sonham com o País na 9ª colocação entre os países da OPEP, a realidade nua e crua é que o gás irá aumentar de preço, em cerca de 25%. Fala sério!

Não só Lula se beneficiou da “notícia”, a quem Hugo Chávez, maliciosamente, chamou de “novo sheikh do petróleo” na Cúpula Ibero-Americana realizada em Santiago do Chile. Outros também se beneficiaram com o factóide lulano, obtendo altos lucros. As ações da Petrobras subiram mais de 14% de um dia para outro e foi a dica para muitos se desfazerem dos títulos e ganhar um dinheiro extra em cima da “notícia” de Luiz “Papai Noel” da Silva. No dia seguinte, tudo voltou à normalidade de sempre. As ações da Petrobrás caíram e não se fala mais no assunto. Nem nas ações da Petrobras, nem no Campo de Tupi. Pelo menos por ora.

Afinal, se algum óleo for retirado daquelas profundidades abissais, ela só irá ocorrer lá por 2014. E olhe lá! Hoje, não existe ainda tecnologia para extrair óleo e gás de regiões tão profundas. Como Lula afirmou que ainda no seu governo será retirado tal óleo, e vendido de preferência por baixo preço aos países pobres, não teria ele novamente cometido um ato falho, admitindo que irá se bater por um terceiro mandato, ainda que em público diga que “não sabia de nada”?

Lula apóia-se, cada vez mais, na tríade em que pretende obter o terceiro mandato (quem sabe também o quarto, o quinto…): Transposição das Águas do São Francisco, Copa do Mundo de 2014 e o Campo de Tupi. Quem é que vai segurar o garanhão de Garanhuns? Tupi or not Tupi, esta é a questão!

Pode faltar gás para o Brasil, na atualidade, porém flatulência é o que não falta para os petistas e aliados do governo fazerem seu foguetório particular. Pum! Pum!